Contenido principal del artículo

Analizar la producción de un área de conocimiento es posible observando los estilos de pensamiento y los colectivos; ese ejercicio consiste en reconocer que además de la influencia del contexto en el que se sitúa la producción de ciencia existen dinámicas internas que influyen en el estudio de ciertos asuntos al interior de las disciplinas científicas. El objetivo del artículo es presentar cómo la lucha entre estilos de pensamiento del Trabajo Social brasileño influye en la inserción de los estudios sobre las cuestiones raciales o de la “raza” en la disciplina. El fundamento del análisis es una investigación bibliográfica intensiva de material histórico y contemporáneo producido en el ámbito académico del Trabajo Social en el periodo 1936-2013. La investigación mostró que el lento dinamismo del estudio de las cuestiones raciales en el Trabajo Social brasileño tiene que ver, por un lado, con la actual preponderancia de un estilo de pensamiento que prioriza el estudio eurocéntrico de la realidad con base en una categoría de opresión. Por otro lado, en el desarrollo y hegemonía de dicho estilo se ha creado un discurso de ausencia radical que acaba borrando todos los estudios previos sobre las cuestiones raciales de la historia académica del Trabajo Social brasileño por hacer parte de un estilo de pensamiento diferente. No obstante, existe un movimiento desde abajo que, si bien se declara seguidor del discurso de la hegemonía, es responsable de la autoría sobre las cuestiones raciales en el Trabajo Social brasileño contemporáneo.

Ruby Esther León-Díaz, Universidad Nacional de Colombia

Doctora en Trabajo Social. Trabajadora Social. Universidad Nacional de Colombia. Bogotá, Colombia.

León-Díaz, R. E. (2022). Las cuestiones raciales y el Trabajo Social: ausencia radical y presencias selectivas en la trayectoria de la disciplina en Brasil. PROSPECTIVA. Revista De Trabajo Social E Intervención Social, (34), 85–109. https://doi.org/10.25100/prts.v0i34.11990

Abramides, M. B., y Cabral, M. d. S. (2009). A organização política do Serviço Social brasileiro. En C. Conselho Federal de Serviço Social (Ed.), 30 Anos do Congresso da Virada (pp. 55-81). Brasília, Brasil: CFESS.

Amaro, S. (2005). A questão racial na assistência social: um debate emergente. Serviço Social & Sociedade, (81), 23.

Birche de Carvalho, D., y Da Silva e Silva, M. (2005). Serviço Social, pós-graduação e produção de conhecimento no Brasil. São Paulo, Brasil: Cortez.

Bloor, D. (2009). Conhecimento e imaginário social. São Paulo, Brasil: Unesp.

Campos-Eurico, M. (2013). A percepção do assistente social acerca do racismo institucional. Serviço Social & Sociedade, (114), 290-310.

Centro Brasileño de Cooperación e Intercambio de Trabajo Social [CBCISS]. (1976). Memorias de la 18 Conferencia Internacional de Servicio Social “Lucha por la igualdad de oportunidades”. Temas Sociais, 9, 1-28.

Coelho, N. (1938). O papel do commissario de menores como assistente social (Bacharelado Trabalho de Conclusão de Curso). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil.

Comisión Económica para América Latina y el Caribe [CEPAL]. (2020). Afrodescendientes y la matriz de la desigualdad social en Amética Latina: retos para la inclusión. Santiago, Chile: CEPAL. Recuperado de https://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/46191/4/S2000226_es.pdf

Conferencia Interamericana de Seguridad Social [CISS]. (1976). Relatório das comissões de estudo da 18ª CISS. Temas Sociais, 9(116), 12-46.

Consejo Federal de Servicio Social [CFESS]. (2012). Código de ética do/a assistente social. Lei 8.662/93 de regulamentação da profissão (10ª ed.). Brasília, Brasil: CFESS.

Consejo Federal de Servicio Social [CFESS]. (2018). Material da campanha. Assistentes sociais no combate ao racismo. Recuperado de http://servicosocialcontraracismo.com.br/material-da-campanha/

Coordinación de la formación del personal de nivel superior [CAPES]. (2013). Comunicado N° 001/2013 - Área de Serviço Social Atualização do webqualis da área-Ref. 2011. Recuperado de https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/Comunicado_012013_webqualisref2011_32_ssoc.pdf/view

Da Silva e Silva, M. (2009). Trinta anos da Revista Serviço Social e Sociedade: contribuições para a construção e o desenvolvimento do Serviço Social no Brasil. Serviço Social & Sociedade, (100), 1-35.

Da Silva-Filho, J. B. (2006). O Serviço Social e a questão do negro na Sociedade Brasileira. Rio de Janeiro, Brasil: Marques Saraiva.

Da Silveira, A. (2005). Adoção de crianças negras: inclusão ou exclusão? São Paulo, Brasil: Veras.

De Silva-Souza, B. (1986). O papel da mulher na ação comunitária nos segmentos carentes da população. Temas Sociais, (198), 1-39.

Dussel, E. (1973). América Latina: dependencia y liberación. Buenos Aires, Argentina: Cambeiro.

Fernandes, F. (1965). A integração do negro na sociedade de classes (3ª ed., Vol. 1). São Paulo, Brasil: Cia. Editora Nacional.

Fernandes, F. (1972). O negro no mundo dos blancos. São Paulo, Brasil: Difel.

Ferreira, T. (1940). Subsidios para a historia da assistencia social em S. Paulo: obras sociais no Imperio (Bacharelado Trabalho de Conclusão de Curso). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil.

Fleck, L. (2010). Gênese e desenvolvimento de um fato científico: introdução à doutrina do estilo de pensamento e do coletivo de pensamento. Belo Horizonte, Brasil: Fabrefactum.

Fonseca, D., y Lima, T. (Eds.). (2012). Outras mulheres: mulheres negras brasileiras ao final da primeira década do século XXI. Rio de Janeiro, Brasil: PUC-Rio.

Freyre, G. (1933). Casa grande & senzala. Rio de Janeiro, Brasil: M & Schmidt, José Olympo.

Garigue, P. (1972). Problemas teóricos do Serviço Social. Temas Sociais, 5(43), 1-19.

Geraldo de Aguiar, A. (1982). O Serviço Social no Brasil: das origens do Araxá. São Paulo, Brasil: Cortez.

Grupo de Trabalho da Pré-Conferencia. (1976). Síntese. "Visão internacional. Esforços por atingir a igualdade de oportunidades - 18a CISS - Porto Rico. Temas Sociais, 9(116), 1-28.

Guerrero-Ramos, A. (1957). Introdução crítica a sociologia brasileira. Rio de Janeiro, Brasil: Andes.

Guerrero-Ramos, A. (1963). Mito e verdade da revolução brasileira. Rio de Janeiro, Brasil: Zahar.

Hasenbalg, C. (1977). Desigualdades raciais no Brasil. Dados, (14), 7-33.

Hasenbalg, C. (1979). Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro, Brasil: Graal.

Iamamoto, M. (2006). As dimensões ético-políticas e teórico-metodológicas no Serviço Social contemporâneo. En A. E. Mota, M. I. Souza-Bravo, R. Uchôa, V. Nogueira, R. Marsiglia, L. Gomes, ... M. Teixeira (Orgs.), Serviço Social e Saúde: Formação e Trabalho Profissional (pp. 1-37). São Paulo, Brasil: Editora Cortez.

Jamur, M., Brito-Arcoverde, A. C., y Simões-Neto, J. P. (2015). Historia del Servicio Social en Brasil. En T. Fernández-García y R. García (Eds.), Trabajo Social: una historia global (pp. 43-66). Madrid, España: McGraw Hill.

Kfouri, N. G. (1972). Determinação do objeto do Serviço Social e os problemas que coloca. Revista Debates Sociais, 8(14), 25-38.

Konopka, G. (1972). Diferenças culturais e a filosofia do Serviço Social. Debates Sociais, 8(14), 5-12.

Latour, B. (1997). A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro, Brasil: Relume Dumará.

Latour, B. (2012). Reagregando o social. Salvador, Brasil: EDUFBA.

León-Díaz, R. E. (2021). Os reveses da ausência. As “Questões Raciais” na produção acadêmica do Serviço Social no Brasil (1936-2013) (Dissertação de doutorado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC-SP, Doutorado em Serviço Social. São Paulo, Brasil.

Lima, S., Dourado, E., y Rodrigues, M. (1990). Fontes para a história do Serviço Social - Centro Brasileiro de Cooperação e Intercâmbio de Serviços Sociais-CBCISS: surgimento e trajetória. Temas Sociais, 23,1-37.

Limongi, M. A. P. (1939). Escolas populares de formação familiar (Bacharelado Trabalho de Conclusão de Curso). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil.

Mariátegui, J. C. (1959). Defensa del marxismo (Vol. 5). Lima, Perú: Amauta.

Marti, J. (2016). Obras completas (1862-1876) (Vol. 1). La Habana, Cuba: Centro de Estudios Martianos; CLACSO.

Martins, T. (2012). O negro no contexto das novas estratégias do capital: desemprego, precarização e informalidade. Serviço Social & Sociedade, (111), 450-467.

Moraes, L. (1940). Algumas considerações sobre Centros Familiares: o Centro Familiar de Ponte Pequena (Bacharelado Trabalho de Conclusão de Curso). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil.

Moritz-Schwarcz, L. K. (1999). Questão racial e etnicidade. En S. Miceli (Ed.), O que ler na ciência social brasileira (1970-1995) (pp. 266-325). São Paulo, Brasil: Sumaré, ANPOCS.

Nascimento, A. (1976). Racial Democracy in Brazil: Myth or Reality (E. Larkin Nascimento, Trad.). Nigeria: University of Ife.

Nettleford, R. (1976). Evolução e implementação da igualdade de oportunidades. Temas Sociais, 9(114), 1-28.

Netto, J. P. (2009). III CBAS: algumas referências para sua contextualização. En C. Conselho Federal de Serviço Social (Ed.), 30 Anos do Congresso da Virada (pp. 15-42). Brasília, Brasil: CFESS.

Ottajano, R. (1940). Inquerito sobre pedidos de internação de menores: algumas sugestões afim de evitá-los (Bacharelado Trabalho de Conclusão de Curso), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil.

Peixoto, F. (2001). Franceses e Norte-americanos nas ciências sociais brasileiras 1930-1960. En S. Miceli (Ed.), História das Ciências Sociais no Brasil (pp. 477-553). São Paulo, Brasil: Sumaré.

Pinto, E. A. (2003). O Serviço Social e a questão étnico-racial; um estudo de sua relação com usuários negros. São Paulo, Brasil: Terceira Margem.

Quijano, A. (2005). Colonialidade do poder, eurocentrismo e America Latina En E. Lander (Ed.), A colonialidade do saber (pp. 107-130). Buenos Aires, Argentina: CLACSO.

Ramos, A., Faria, P., y Faria, Á. (2014). Revisão sistemática de literatura: contributo para a inovação na investigação em Ciências da Educação. Revista Diálogo Educacional, 14(41), 17-36.

Ribeiro, M. (2004). As abordagens étnico-raciais no serviço social. Serviço Social & Sociedade, 25(79), 148-161.

Ribeiro, M. (2014). Políticas de promoção da igualdade racial no Brasil 1986-2010. São Paulo, Brasil: Garamond.

Rocha, R. (2009). A questão étnico-racial no processo de formação em serviço social. Serviço Social & Sociedade, (99), 21.

Rocha de Souza-Bierrenback, M. I. (1990). Legislação social e a questão da mulher - minorias e deficiêntes. Temas Sociais, (219), 1-9

Rodrigues, N. (1957). As raças humanas e a responsabilidade penal no Brasil. Bahia, Brasil: Progresso.

Rodrigues, N. (1988). Os africanos no Brasil. São Paulo, Brasil: Cia. Editora Nacional.

Rodrigues-Alves, S. R. (1966). A ecologia do grupo afro-brasileiro. Rio de Janeiro, Brasil: Imprensa Nacional-MEC.

Rodrigues-Da Silva, L. (1991). Aproximação do Serviço Social à tradição marxista: caminhos e descaminhos (Dissertação de doutorado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil.

Rufino, J., Terena, M., y Silva, D. (1992). A ecologia e as culturas negra e indígena. Temas Sociais, 24(240), 58-73.

Salvador, A. C. (2011). Ação afirmativa na PUC-Rio: A inserção de alunos pobres e negros. Rio de Janeiro, Brasil: PUC-Rio.

Schafer, L., y Schnelle, T. (2010). Introdução da perspectiva sociológica de Ludwik Fleck na teoria da ciência. En L. Fleck (Ed.), Gênese e desenvolvimento de um fato científico (pp. 1-36). Belo Horizonte, Brasil: Fabrefactum.

Shapin, S., y Schaffer, S. (2005). El Leviatán y la bomba de vacío. Hobbes, Boyle y la vida experimental. Bernal, Argentina: Universidad Nacional de Quilmes.

Simões, P. (2009). Gênero, origem social e religião: os estudantes de Serviço Social no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil: E-Papers, Faperj.

Soares, G. (2009). Prefácio. En P. Simões (Ed.), Gênero, origem social e religião: os estudantes de Serviço Social no Rio de Janeiro (pp. 11-15). Rio de Janeiro, Brasil: E-Papers, Faperj.

Souza, Y. H. (1971). Uma experiência de adoção de crianças através do método de Serviço Social de Casos. Temas Sociais, 4(36), 1-30.

Sposati, A., y Martinelli, M. L. (2009). A perspectiva do III Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais. En C. Conselho Federal de Serviço Social (Ed.), 30 Anos do Congresso da Virada (pp. 81-97). Brasília, Brasil: CFESS.

Turner, F. (1976). Resumo dos trabalhos desenvolvidos na 18ª Conferência Internacional de Serviço Social-CISS. Temas Sociais, 9(117), 1-11.

Vianna, M. (1939). Problema do menor jornaleiro (Bacharelado Trabalho de Conclusão de Curso), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil.

Vieira, B. O. (1989). História do Serviço Social. Uma contribuição para a sua teoria. Rio de Janeiro, Brasil: Agir.

Wey, A. (1940). A Paroquia da Lapa e suas obras sociais (Bacharelado Trabalho de Conclusão de Curso), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, Brasil.

Yazbek, M. C. (2009). Fundamentos históricos e teóricos-metodológicos de Serviço Social. En A. CFESS (Ed.), Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Colecao Fundamentos históricos e teórico; metodológicos de Serviço Social (pp. 143-163). Brasilia, Brasil: CFESS/ABEPSS.

Younhusband, D. E. (1976). Igualdade de oportunidade - conseguiremos? Temas Sociais, 9(114), 1-12.